19.5.14

Pequeno diário de viagem - Parte 3

Oi gente, tudo bem?
Vamos retomar o pequeno guia de viagem com uma das melhores partes: a comida! Esta era uma das partes que mais me preocupava com relação à viagem, porque a Beatriz estava com dificuldades para comer por conta do nascimento de seis dentes de uma só vez. Imaginei que fôssemos dar seu almoço no hotel e, depois, sairíamos para comer naquele horário tipo "almojanta".
Partindo disto, conheci o Empório da Papinha e descobri que havia distribuidores dele em Floripa. Assim que chegamos, corri para comprar algumas unidades e aproveitei para comprar algumas lindas frutas orgânicas para os lanches. As papinhas e as refeições "singles" são feitas com produtos orgânicos, pouco sal, sem conservantes e outros "antes", e são ultracongeladas, ou seja, duram por até seis meses em freezer doméstico. Além disso, são muito gostosas e nos deram bastante conforto quando rolou aquele cansaço e bode geral, rs.
Sim, foram ótimas nos momentos de bode, porque a Beatriz nos surpreendeu e fez quase todas as suas refeições com a gente, nos restaurantes, sentadinha no cadeirão. Em algumas delas, tivemos de recorrer ao "vídeo mágico", ou seja, alguns episódios da Peppa ou do Elmo para amenizar a espera. No geral, foi ótimo. Ela comeu peixes fresquíssimos, com sabor inexistente em qualquer peixaria em São Paulo, e experimentou batatas fritas, o êxtase. Comeu até salada de tomate e arroz branco, sucesso total. Recomendo esta experiência, porque dividir a refeição com a minha filha foi o melhor momento da viagem.
Vamos aos locais:
Barracuda (Lagoa da Conceição): tem um espaço Kids excelente, e a Beatriz tomou conta do lugar, porque só estávamos nós no restaurante. Eu pedi meia sequência de camarão e substituí o peixe do cardápio por linguado grelhado. Ela comeu quase o filé todo, com batatas e pirão. E reclamou quando acabou.
Casa do Chico (Lagoa da Conceição): fomos duas vezes. Na primeira, ela comeu frango grelhado com o pai e, na segunda, o peixe grelhado na minha sequência de camarão. Foi o peixe que ela menos gostou e, realmente, não estava dos melhores... 
Barba Negra (Lagoa da Conceição): certamente, a melhor sequência de camarão. Os empanados estavam sequinhos, o peixe grelhado estava excelente e o molho de camarão também. Beatriz amou o peixe, comeu salada, arroz, batata e depois capotou no carro. Sucesso.
Porto do Contrato (Ribeirão da Ilha): neste dia, a Beatriz almoçou no hotel e fomos mais tarde para o restaurante, porque ele é distante, cerca de 45 minutos de carro. Ela beliscou o frango grelhado do pai e alguns polvilhos. Capotou na volta. O lugar é lindo, super aconchegante e a comida é excelente. Eu comi a sequência de ostras "Ostrentação" e recomendo. Bem, eu amo ostras, rsrs.
 

Pátio Salvoro (Canto da Lagoa): excelente surpresa em Floripa, este restaurante italiano nos conquistou. Pedimos provoleta de entrada e eu dividi com a Beatriz um filé mignon com penne a bolognesa. Eu saí perdendo na divisão, porque ela detonou o prato e realmente foi um dos melhores que já comi. Ganhou de muita cantina tradicional em São Paulo. 
Fizemos duas refeições nos shoppings, uma no Floripa Shopping e outra no Iguatemi de Florianópolis. Em uma delas apelamos para o Vienna. Montei um prato para a Beatriz com peixe grelhado, batatas assadas e arroz de brócolis. Coloquei uma saladinha e deu certo. No dia do desespero (o dia em que chegamos) foi a salvação. 
No Floripa, conheci o Suco Bagaço, que tem sucos e saladas de frutas feitas na hora, bem fresquinhas, sem açúcar, adoçantes, ou coisas artificiais. Outra salvação para os devoradores de frutas, como o meu bichão.
Espero que tenham gostado!!
XO

Nenhum comentário: