28.7.14

Review: Babá Eletrônica Foscam

Oi pessoal, tudo bem?
Quem nos acompanha pelo Instagram deve ter visto esta foto aqui, que postamos diante de uma pose inusitada do bebezão dentro do berço:
Risadas à parte, já faz um tempo que queria compartilhar com vocês o novo "brinquedo" daqui de casa: a Babá Eletrônica Foscam. É quase uma ofensa chamá-la de babá eletrônica, porque você automaticamente se remete a um daqueles radinhos pequenos e que pegam todo e qualquer tipo de interferência... Mas a tradução para Baby Monitor é babá eletrônica, então...
O nome é comprido: Foscam Digital Baby Monitor. Trata-se de um sistema composto por uma (no mínimo) câmera com visão noturna em infra-vermelho e um monitor em LCD, com sensor de movimento e de som. 
A instalação é simples, pois basta ligar a câmera na tomada no quarto do bebê, posicionar e ligar o monitor. Nós fixamos a câmera na parede em frente ao berço, mas é possível colocá-la até nas grades do berço se for um recém-nascido. Tanto o sensor de som quanto o de movimento são bem sensíveis e, se alguma destas ações ocorre, o LCD se acende como um alerta. 
O Foscam coloca qualquer babá eletrônica do tipo radinho no chinelo. E o melhor: você não precisa de conexão à internet. Então nada de depender do WiFi para ver seu bebê, o que basta é a energia elétrica (será que é pedir muito? rs).
A imagem é nítida, o som é fiel e preciso, e você pode controlar o volume e, oba, a temperatura do quarto. A bateria do monitor dura bastante e você pode levá-la pela casa sem precisar da tomada. Como eu disse, o sensor é bem sensível e, não raras as vezes, motoqueiros passando na rua o acionam, o que acaba por ligar o monitor. Talvez numa região mais barulhenta, e sem janelas antirruídos, teríamos problemas...
Eu gostei muito deste produto e recomendo a todas as mamães. Agora a maior desvantagem: a Foscam só tem nos EUA. O preço é convidativo. Nós compramos na Amazon por US$ 119 e pedimos para entregar na casa de um parente. Minha mãe passou por lá e nos trouxe. 
Pesquisamos muito antes de comprar e não vimos similares no Brasil (salvo alguns por valores superiores a mil reais - custo Brasil, né). Sabemos que existem empresas de monitoramento que prestariam este serviço, mas preferimos um aparelho que não utilizasse a conexão por internet. 
Se você for fazer o enxoval nos EUA, #ficaadica!!!
Espero que tenham gostado!
XO

2.7.14

Bolo integral para um bebê revolucionário sem M&M

Oi pessoal, tudo bem?
Junho passou voando, né? O excesso de serviço, a Copa do Mundo, mãe e filha doentes pesaram muito e fizeram o mês passar tão rápido, mas tão rápido, que o blog encheu de moscas. Deixem eu jogar um Raid e abrir julho com algo que nunca fiz antes: publicar uma receita!
Sim, é hora da gordice! Todo mundo fica com vontade de bolo no inverno, com um chazinho ou um café.. Huuummmm... Como vocês sabem, controlo milimetricamente a ingestão de açúcar da Beatriz (e a minha também), apesar dos protestos de familiares (que dão M&M para crianças de 2 anos - não a minha, tá?). Quando faço alguma receita, procuro adoçar com frutas, açúcar cristal orgânico ou mel.
E fazia tempo que eu estava com vontade de um bolo de frutas, tipo banana ou maçã e eu tinha maçãs dando sopa na geladeira, pois estavam em oferta e eu acabei comprando mais do que eu conseguiria comer ou misturar no iogurte. Abafa o caso.
Deparei-me com esta receita e por sorte tinha exatamente 3 ovos lindos e orgânicos na geladeira. O resultado: um bolo lindo, cheiroso, molhado e com uma pequena crosta caramelizada em cima por conta da substituição de metade do açúcar branco por açúcar cristal orgânico. Metade da farinha branca foi substituída por integral também, tornando o bolo apropriado para crianças.
Infelizmente não deu tempo de tirar fotos... Sou bem noob nesta questão de blog, acho que deu para perceber. Problema solucionado!!! Mas o bichão adorou. Já vinha dançando toda vez que me via com um pedaço dourado, cheio de pedacinhos de maçã. 
Espero que vocês gostem!!

Bolo de maçã - ligeiramente adaptado daqui.

2 maçãs grandes do tipo Gala
3 ovos grandes orgânicos em temperatura ambiente
1 xícara de farinha de trigo branca
1 xícara de farinha de trigo integral
1 xícara de açúcar branco 
1 xícara de açúcar cristal orgânico (fiquei com medo e ainda usei metade com o branco, mas vou conseguir substituir total da próxima vez)
1 xícara de óleo de milho
1 xícara de leite quente (eu usei tipo A, de garrafa, fervido, da Fazenda)
2 colheres de chá de canela em pó
1 colher de sopa de fermento em pó
1 pitada de sal marinho

Em primeiro lugar, pré-aqueça o forno a uma temperatura média para alta (cerca de 200 a 220 graus - para o bolo tomar aquele susto para crescer). Unte e enfarinhe uma forma (eu usei de furo no meio, mas acredito que uma de bolo inglês se adaptaria melhor). 
Descasque e pique as maçãs em cubos bem pequenos (usei um Mandoline e um "speed peeler", e foi facinho, facinho). Reserve as cascas! No liquidificador, bata as cascas com os ovos e o óleo (DICA: coloque primeiro os líquidos - ovos e óleo - e depois as cascas para bater com mais facilidade).
Em um bowl grande, misture os cubinhos de maçã com as farinhas, os açúcares, a canela, o sal e o fermento. Eu peneirei os ingredientes brancos (farinha e açúcar refinados) e facilitou muito. Agregue a mistura de casca de maçãs até ficar homogêneo (misturar com um pão duro facilita o trabalho). 
Disponha na forma, verificando se há pedaços de maçã por todo o bolo. Leve ao forno por cerca de 50 minutos. 
Importante: procure conhecer o seu forno. O daqui de casa é super forte, então sempre inicio qualquer assado com uma forma vazia na grelha de baixo. Depois de uns 20 minutos eu a retiro e abaixo o forno para 200 graus. 

Vamos à gordice!
XO