11.4.16

Férias! Parque das Aves

Oi pessoal, tudo bem?
Continuado nossa série de posts sobre as nossas férias, quero contar para vocês sobre o nosso passeio ao Parque das Aves, aqui em Foz do Iguaçu.
O parque fica na avenida das Cataratas, do lado oposto ao Parque das Cataratas, o que deu cerca de vinte minutos de carro do hotel. O estacionamento fica na frente e ao lado do parque e é de graça.
Mais uma vez escolhemos ir logo cedo, às 9h, para evitar altas temperaturas e  muitas pessoas, e também para pegar o horário mais bem-humorado da pequena. Compramos os ingressos por R$ 30 o adulto e a pequena não paga. Não esqueça do repelente, porque estaremos de novo na mata fechada!!
Agora, vou dar o aviso: se você não concorda ou não gosta de zoológicos, pare de ler o post aqui. Eu confesso que não sou a favor de aves em gaiolas e fui com "os dois pés atrás" para o parque, mas sabendo que é a melhor opção para a Bia ter contado com os bichos. Não somos uma família da aventura e um safári está completamente fora de cogitação.
Como eu disse, eu esperava aves em gaiolas de zoo, mas me surpreendi. São áreas inteiras protegidas com redes e as aves têm, sim, um bom espaço para voar, comer e até mergulhar. Os papagaios ficam em galhos e têm as redes para escalar e conversar com os visitantes, o que rende cenas engraçadíssimas, como a do "loro" que resolveu rir bem alto para nós.
Cada ambiente é adaptado às necessidades da espécie. Flamingos têm espelho d'água, papagaios têm galhos e grades, corujas têm pequenas casinhas. Existe uma área em que os tucanos ficam "de boas" e posam para fotos. Quem nos acompanha no Face viu que sofri um rasante de uma destas aves belíssimas.
 
Há uma área exclusiva para as araras e podemos andar tranquilamente entre elas. O cercado é bem grande e isto nos dá uma experiência única entre as belas penas vermelhas, azuis e amarelas. Obviamente Beatriz ficou dois dias repetindo ritmicamente "arara".
 
O que eu achei o melhor do passeio: no final das trilhas, é possível segurar a arara no braço para uma foto espetacular. Assim que a arara foi colocada no meu braço, a Beatriz fez direitinho o punho e estendeu o braço dela também, para segurar a arara do mesmo jeito. O tratador nos explicou que a arara é pesada para ela, mas colocou ela bem perto da Beatriz, que deu a mão para o moço e ficou observando maravilhada. Só isso já valeu o passeio.
E, mais uma vez, terminamos nosso passeio na lojinha, onde a Beatriz escolheu dois chaveiros em formato de arara (para nossa alegria, embora tenhamos sugerido a pelúcia grande)...
Espero que tenham gostado!!
XO

4.4.16

Férias! Cataratas do Iguaçu

Oi pessoal, tudo bem?
É impressionante como o mês que antecede às minhas férias é sempre cheio de trabalho... Desde muito antes da Beatriz nascer, parece que o universo joga todo o serviço em cima de mim, e a única vantagem é viajar com tudo resolvido. Obviamente não foi diferente e o Carnaval deixou tudo ainda mais bagunçado
(por isso a presença de moscas no blog). 
Tenho muitas novidades para contar para vocês e vou começar uma série de posts sobre a viagem que fizemos a Foz do Iguaçu, entre os dias 16 e 22 de março.
Escolhemos ir ao Parque Nacional das cataratas logo no dia seguinte à nossa chegada, para que pudéssemos descansar à tarde e nos dias seguintes. Preferimos ir pela manhã para pegar uma temperatura mais amena e um público menor, e neste ponto compensou muito.
Chegamos de carro até o estacionamento do parque (R$ 21, pagos junto com os ingressos) e fomos comprar os ingressos,  no valor de R$ 34,20 por adulto e R$ 9 para crianças de dois a doze anos. Não se assuste com a fila, porque são muitos guichês e foi bem rápido. Fomos então pegar o ônibus em direção à trilha para as cataratas. Os ônibus têm dois andares - bem parecidos com aqueles hop-on/hop-off de Nova York - e o andar de cima é aberto nas laterais, o que te dá uma vista espetacular do trajeto.
Cerca de dez minutos depois, chegamos ao acesso à trilha das Cataratas. O caminho é bem sinalizado e é só descida. Tirando o fato de que a Beatriz quis ir nos ombros do pai o tempo todo (e ainda rolou uma chupeta para conseguirmos barganhar uma paciência dela), não é cansativo, mas aí percebemos a vantagem de ir nas primeiras horas da manhã: a mata fechada vai concentrando o calor. 
Por toda a trilha é possível ver borboletas e quatis, que são o símbolo do parque. Em alguns pontos é possível tirar fotos belíssimas.
Numa bifurcação, está indicada a descida à garganta do diabo. Em poucos minutos, você vai se deparar com as enormes cataratas. A vista é surpreendente, não existe nada mais espetacular do que as gigantes quedas. Esta é a hora de vestir sua capa de chuva e, mesmo assim, tomar um banho. 
Arrumei uma capa amarela para a Beatriz e, no maior estilo pica-pau, fomos andando pela passarela "em busca do barril". Como as cataratas estão com a vazão muito maior do que o normal, as rajadas de vento nos encharcaram! Foi sensacional, um dos melhores passeios que já fizemos!! 
Com o celular protegido, fiz ótimas fotos!!! Super recomendo, porque é a maior farra para os pequenos!!
Depois descobrirmos que o elevador na parada final (Estação Espaço Porto Canoas) leva o pessoal direto à passarela, além de subir e evitar a volta à pé. Depois de mais de 90 minutos de passeio, entramos no transfer de volta e ainda paramos na lojinha onde compramos dois quatis de pelúcia extremamente fofos!
Agora vamos às dicas!
- passe filtro solar e repelente abundantemente, afinal estamos no meio da mata. Nós passamos o Exposis no hotel e reaplicamos depois de duas horas.
- leve capas de chuva e toalhas, porque andar pela passarela molha muito!
- não toque ou alimente os quatis. São animais selvagens que podem atacar e transmitir doenças... Eles são fofos e posam para as fotos, mas podem simplesmente roubar os alimentos de suas mãos.
- compre uma capa plástica para o seu celular para que você possa tirar fotos sem estragar o aparelho. Se você tiver uma go-pro, ela é excelente para o passeio. Ah! Você só vai se molhar mesmo na passarela!
- leve água e se mantenha hidratado.
- loja na saída. Eu gosto de comprar uma lembrança em todos os lugares que visito e eu sei que são coisas caras. O que me surpreendeu foi o desconto de 20% na compra de duas pelúcias!! 
Nota dos pais medrosos: decidimos não fazer o Macuco Safari, que é um passeio de barco embaixo das quedas. Sei que muitos indicam para os pequenos, mas tive receio da reação dela. E se ela ficasse com medo? Não teríamos como voltar. E se ela curtisse muito e quisesse se jogar? Como iríamos convencê-la se ultimamente para colocar o uniforme da escola tem sido a maior tarefa árdua do mundo... Fica para a próxima...
Espero que tenham gostado!
XO