18.7.13

Guia de compras: enxoval no Brasil

Vou falar hoje um pouco sobre o enxoval do bebê. Passei a pensar em escrever sobre isso quando meus planos para refazer o enxoval da Beatriz lá fora foram por água abaixo. Comprei boa parte das coisas dela nos EUA e, agora que nada serve mais, estava planejando viajar para repor as roupas... Maaaas, com o dólar atualmente nas alturas, viajar para comprar ficou fora de cogitação. Simplesmente não compensa, na ponta do lápis, embarcar somente para fazer enxoval. Na minha humilde opinião.
Não estou pregando pobreza e nem defendendo esta ou aquela situação. E sei que tem várias mães por aí que tiveram de arcar com o custo Brasil e nem por isso têm bebês mal-vestidos (hein?). 
Acho que a ideia é montar um guarda-roupa versátil, bonito e sem gastar os tubos em roupas que não vão servir daqui um mês ou dois. 
Vou dividir este post em duas três partes. Nesta primeira, vou das roupas para a maternidade. Sinceramente, eu não imaginava que estas roupas eram tão importantes, mas, segundo a minha mae, é o debut do bebe. Ou seja, estamos falando de roupas bacanas.
Cada maternidade tem uma lista de roupas a serem levadas, com os xales à parte. Segue a lista básica:
- 6 bodies
- 6 culotes
- 2 mantas
- 6 macacões de linha ou lã (dependendo do clima, sem se esquecer que o recém-nascido sente mais frio)
- 6 pares de meia
- Roupa para saída de maternidade com xale
Eu montei os conjuntos em saquinhos etiquetados e levei 2 peças extras de cada categoria, para garantir caso houvesse acidentes. 
Saí em busca dos seis conjuntos, sendo que um deles tinha de ser amarelo, para o primeiro dia, e um vermelho, para a saída e para combinar com o xale vermelho que uma das tias do meu marido fez. Fui basicamente em três lojas:
- Paola da Vinci. Tradicional das mamães paulistanas, tem coisas lindas e com preços que podem chegar às alturas. Boa dica: o outlet fica na R. Oscar Freire, 958 e tem bastante coisa, pela metade do preço. Confissão: o conjuntinho roxo ao lado é do outlet, e é muito fofo.
- Silmara Bebê (Rua Joaquim Antunes, 118). Sou APAIXONADA por esta loja. Tem roupinhas de maternidade diferentes da Paola, com preços melhores. A linha de roupas para grávida é de enlouquecer. Comprei este conjunto branco e a Beatriz usou bastante, porque o tamanho P é grande e serve até 3 meses.
- Boutique Fofinho (Rua Pamplona, 1765). Desde que eu me conheço por gente, minha família vai nesta loja comprar presentes para os bebês. Foi lá que eu encontrei os bodies com gola bordada para colocar embaixo das roupas de linha/lã, que são indispensáveis para dar aquele charme. Eu acabei comprando também o vestidinho que ela usou no batizado. 
As meias brancas (da Puket) eu comprei no Depósito de Meias São Jorge pela internet mesmo e valeu muito mais a pena do que deslocar a gorda/grávida até a 25 de março. E as embalagens para formar os conjuntinhos comprei na Anna Embalagens, via ELO7.
Ainda faltavam alguns bodies bordados para termos de reserva e eu e minha mãe resolvemos nos aventurar pela Feira da Gestante, Bebê e Criança. Primeiro conselho com relação a esta feira: não leve seu marido, ele vai odiar (ainda bem fui com a minha mãe). Se prepare para enfrentar uma multidão e, sim, para garantir algumas barganhas. 
Foi lá que encontrei um segundo kit de berço branco, com bordado inglês e em percal 200, por um preço absurdamente convidativo. E lá conhecemos a Cantinho do Bebê, cujo site não encontrei (mas tem email: mari0706@hotmail.com), e que faz bodies bordados liiindoooos. Compramos vários e acabamos comprando também duas viras de xale, que são quadrados de tecido bordado para que a pele do bebê não encoste no xale. Um luxo só!
Feito o enxoval da maternidade, volto em outro post para montarmos o enxoval do dia-a-dia. 
XO

11.7.13

Testado e aprovado: papinhas orgânicas da Jasmine

Desde quando comecei a introduzir alimentos sólidos na dieta da Beatriz, fiquei pensando em como deixar as papinhas práticas para o dia-a-dia (daí a minha ideia de congelar os legumes/verduras cozidos em formas de gelo). E, no lanche da tarde, em que dou frutas para ela, tinha muita dificuldade quando não estava em casa. Acabava recorrendo à boa e velha banana-ouro, que é só amassar e pronto.
Mas eu queria variar, para ela se acostumar com novos sabores. Comecei a cozinhar a maçã no vapor, já descascada e em pedaços, e conservo em geladeira por até dois dias, depois de amassada com um garfo. Sucesso, mas e quando não tiver tempo?
Outro dia no mercado, fui ler o rótulo daquela papinha famosa que muita gente dá e estava escrito assim: polpa de maçã, suco de maçã, ruffs, puffs and lambs (isso são os corantes e conservantes). Oi? Em um alimento para bebês? Não tive coragem, juro...
Pesquisando na internet, descobri que a Jasmine havia lançado uma linha de papinhas orgânicas de frutas. 
A Jasmine é especialista em produtos orgânicos e integrais e sou fã dos cookies deles. Comprei no mercado e custaram o mesmo daquela papinha famosa. Os ingredientes? Polpa de maçã e vitamina C. Só. Foi sucesso.
Em tempo: o pediatra autorizou introduzir na dieta dela macarrão e arroz (integrais) e a quinoa, que é considerado um superalimento (veja os benefícios aqui, infelizmente só em inglês). Eu cozinho a quinoa orgânica (também da Jasmine) até ficar quase empapada e misturo na papinha normal, de legumes e verduras. Mais uma vez, sucesso :)
XO