12.6.15

Dia dos namorados

Oi pessoal, tudo bem?
Hoje é dia dos Namorados. Muitos casais com certeza estão se amontoando em restaurantes, bares, trocando flores, chocolates e presentes diversos. Eu e meu marido fazíamos isso antes da Beatriz nascer: escolhíamos um restaurante especial ou um chalé no interior para o fim de semana. 
Depois que ela nasceu, o "casal" ficou para segundo plano. Tenho certeza que muitas mães e pais passam por isto, principalmente quando os filhos são bebês e crianças pequenas. 
A fórmula é muito simples: quando a criança nasce, casal deixa de ser casal e passa a ser pai e mãe. A Anna deixou de ser Anna e passou a ser a mãe da Beatriz. O Thiago deixou de ser o Thiago e passou a ser o pai da Beatriz. É óbvio que nós acabamos por nos focar tanto na criação dela, nas necessidades de ela, que algumas crises se instauraram e vejo muitos casais se separando por conta desta loucura.
São noites mal-dormidas, acúmulo de tarefas, trânsito, stress e cobranças sem fim da sociedade. As discussões sobre a linha de criação, se vamos ao fonoaudiólogo ou não, se a escola será Waldorf ou sócio-construtivista, se ela comerá chocolate com um ano ou dois, tomam tempo e podem causar atritos. 
Já faz algum tempo que eu e meu marido voltamos a nos entender e a nos reconectar. Eu sinceramente me sentia distante dele, talvez porque fiquei tão concentrada na fala da Bia, na comida da Bia, no desfralde da Bia.
Por este motivo escrevi este post no dia dos namorados. Esqueçam, por um instante, da figura do pai e da mãe, e se lembrem do marido e da esposa. Conversem. Assistam um filme que vocês não assistiriam com os filhos. Deixem os filhos nos avós. Se reconectem, se recordem de quando iam ao cinema toda a semana ou a um restaurante da moda. 
Este momento, por menor que seja, trará uma força para vocês que os deixará relevar aqueles "estressezinhos" do dia a dia e também focar no parceiro depois que as crianças dormirem, lógico. Não é algo automático, é um exercício de fortalecimento, e eu o recomendo neste dia dos namorados. 
Não, eu não tive essa epifania hoje. Há bastante tempo tenho pensado nisso e comecei a ler alguns livros e conversar com profissionais. Percebi que nisso eu pecava. Resolvi mudar a perspectiva e, pelo menos para mim, tem dado resultado. Nós sempre assistíamos séries, como Game of Thrones, Hannibal e Grimm (todas com cenas fortes e impróprias), e eu dava de ombros. Sério, não estou mentindo. Hoje eu passo o dia inteiro esperando o momento em que poderems deitar e assistir alguma série juntos. É o nosso momento.
Aproveitem.
Espero que tenham gostado!
XO