8.7.16

Chegou a nossa vez!! Desfralde

Eu não acredito que finalmente vou escrever sobre desfralde!! Viva!! Eu já tinha até perdido a esperança, embora, na minha cabeça, imaginava que lá para setembro eu conseguisse "forçar uma situação" (rsrs).
De qualquer forma, sabemos que, em se tratando de filhos, a gente planeja uma coisa e eles estão ali de prontidão para nos desmentir e fazer completamente o contrário. Por isso, sugiro que você esqueça, apague, delete tudo, mas tudo mesmo, o que você leu sobre desfralde até hoje. Tudo menos o "respeite o tempo do seu filho".
No ano passado, lá para outubro, as crianças da idade da Bia já estavam desfraldando e ela não dava sinais. Este ano, em março, pensamos novamente sobre o assunto, mas estávamos no meio de uma avaliação audiológica (que contarei num post específico) e decidimos aguardar passar para decidirmos. Com esta avaliação e ainda na busca de fono e terapeuta ocupacional, eu simplesmente deixei de lado esse assunto. Duas profissionais já haviam mencionado que a Bia estaria pronta assim que conseguisse pular com os dois pé juntos e, embora isto estivesse acontecendo, os avisos de fralda molhada não existiam.
Pois num domingo (precisamente 05.06.16) a Beatriz começou a andar pela sala segurando a fralda e falando "xixi, cocô". Perguntei se ela queria ir na privada e ela disse sim. Fomos, nada saiu, perguntei se ela queria por a fralda e ela disse não. Conversei rapidamente com meu marido e decidimos que seria o dia. Foram vários escapes, inclusive no colo do marido, e um cocô na fralda antes de dormir. 
Detalhe importante: a semana que a Bia decidiu sair das fraldas foi a semana mais fria em sessenta anos em São Paulo. Só para ficar registrado, tivemos madrugadas com 2-3 graus.
No dia seguinte, cheguei na escola e dei a notícia. A professora e a psicóloga ficaram chocadas, mas fomos firmes em não voltar atrás (tanto que a prô me falou depois que ela ficou super em choque e, rindo, disse que deveríamos conversar antes, como fazemos com todos os pais e etc. - e eu disse que ela sabia que a Bia era fora da caixa). Combinamos que a Bia iria de Crocs nesses primeiros dias (o que foi uma super dica, porque é só lavar que tá pronto para calçar) e que eu capricharia nas trocas de roupas.
No terceiro dia (quarta-feira), a Bia já acertava o xixi e, mais uma semana, começou a acertar o cocô. Em 10 dias ela aprendeu sozinha a montar o assento, tirar a calça, subir e se limpar (eu confiro, tá). Agora, que já se passou um mês, tivemos apenas um escape de cocô durante uma brincadeira.
Durante as noites, e desde aquele primeiro domingo (com 3 graus), ela sempre se levanta para ir ao banheiro, embora ainda estejamos deixando de fralda por conta do frio, quando normalmente fazemos mais xixi. Mesmo com a fralda molhada, ela pede para trocar. Temos que levá-la perto da meia-noite senão corre o risco dela acordar às 5:30 num domingo e ficarmos todos de rancor, óbvio.
O que aprendi? Respeitar o tempo da criança. Com 3a7m ela decidiu sozinha a ir no banheiro, a pedir, a se limpar. Com ela, não podíamos ficar perguntando se queria ir ao banheiro. Ela queria pedir. E foi assim que fizemos. 
Atropelei inúmeros narizes torcidos de mães julgadoras, do alto de seus pódiuns com filhos gênios (sqn), e - feminista que sou - respeitei a outra mulher que coabita. 
Vitória. Minha menina cresceu!! Buáaaaa!! Posso chorar??
Update: no final de julho, nos livramos da fralda noturna!
XO
 

Nenhum comentário: