14.4.14

Pequeno diário de viagem - Parte 2

Oi gente, tudo bem?
Esta segunda parte do post vou dedicar às praias. Existem algumas praias em Florianópolis que são mais recomendadas para os pequenos, porque suas águas são calmas e há menos agitação. A desvantagem destas praias mais vazias é a falta de estrutura: enquanto numa praia "de adulto" você tem sempre alguém para te alugar uma cadeira e um guarda-sol, nestas praias você não tem nada e descobrimos só quando chegamos nelas que teríamos de levar nosso próprio equipamento. Também é possível que este clima desértico se deva a termos ido fora de temporada, em dias de semana (o que é outra vantagem, já vou dizer porquê).
Importante: em dias nublados (e nos dias de sol que os sucedem), a água é muito, muito gelada. Assim, cuidado antes de sair "jogando" as crianças mais novas na água (nada de ser "joselito").
São elas:
Praia da Lagoinha (de Ponta das Canas, após Ingleses e Canasvieiras): águas calmas, faixa de areia longa e estacionamento "pé na areia". Os bebês podem se sentar na beiradinha e aproveitar uma marolinha beeeem suave, com direito a castelos de areia.
Praia da Daniela: logo após a badalada Jurerê Internacional, temos uma praia de águas calmas e faixa de areia curta. Os acessos ficam escondidos por uma certa mata, coisa de cinquenta metros, cercados por casas com famílias e crianças pequenas. É um lugar bem bonito, escondido e bacana para quem não quer o agito.

Agora vem a vantagem de se ir fora de temporada: as praias consideradas cheias ficam - não digo desertas - mas transitáveis nesta época. É possível garantir boa distância do guarda-sol vizinho sem perder a conversa ou a possibilidade de pedir uma "vigia" nos pertences enquanto resolve "lavar a alma" no mar.
Praia da Joaquina: cercada por dunas daonde descem muitos corajosos e reduto de surfistas e, ugh, argentinos, a Joaquina se mostrou excelente para nós. Como a água estava gelada, os castelos de areia fizeram sucesso. Pus um pézinho da Beatriz na água, tomamos umas ondas nos bumbuns e ela viu os peixinhos, aos quais se referiu como "au-au". E eu soltei o clássico "não, filha", rsrsrs. Ah sim: o estacionamento desemboca na praia :)
Praia dos Ingleses: a areia foi a diversão neste dia nublado e de mar gelado (afe). Uma criança vizinha foi alvo de um pequeno furto da Beatriz, o que nos obrigou a encurtar a visita. Mas já passava das 11h, então foi lucro no geral. Desvantagem desta praia: os estacionamentos ficam a mais ou menos cinco minutos a pé, pois não se pode mais estacionar nas ruas paralelas à praia.
Algumas dicas gerais, que aprendemos "na marra":
- sempre chegar cedo, preferencialmente antes das 09h, para que o bebê possa tomar tranquilamente o sol da manhã;
- mesmo em dias nublados, passar filtro solar e usar chapéu;
- providencie uma canga para forrar cadeiras, banco de carro ou até o chão caso precise trocar uma fralda;
- estoque a "mochila de praia" com lanchinhos e água. Levei frutas e polvilhos todos os dias. Se o seu bebê gostar, sempre pode oferecer água de coco (a Beatriz odeia, rsrs);
- tenha duas toalhas: uma para banhos de mar e outra limpa e seca, no carro, assim você pode secar o bebê depois da ducha de água doce;
- tenha garrafas de água doce no carro para lavar pés e limpar o bebê no geral. Esta parte é o trash de se escolher hotel distante. Não digo que não é engraçado, mas é trash.
- e, mais importante, RELAXE. Vocês estão de férias. Atrasar o almoço em uma hora não vai matar ninguém. O máximo que pode acontecer é o bebê dormir a caminho do restaurante, rs.
Espero que tenham gostado!
XO

Nenhum comentário: