26.3.14

Pequeno diário de viagem - Parte 01

Oi pessoal, tudo bem com vocês?
Volto a escrever com novidades: saímos de férias! Fizemos nossa primeira viagem em família e foi ótimo passar este tempo longe do stress do trabalho, curtindo uns dias na praia. Passamos uma semana em Florianópolis com a pequena e, embora alguns momentos tenham sido tensos, a viagem foi muito boa. Quero dividir algumas experiências com vocês para, quem sabe, vocês não passem por algumas destas tensões que passamos. Lógico que, como qualquer pai de primeira viagem, a tensão domina no primeiro momento em que o bebê chora na situação nova, rs. 
Não custa nada ser otimista, né?
Vamos falar dos preparativos para a viagem neste primeiro post e algumas dicas de sobrevivência em cidades "estranhas" à sua rotina e à rotina do bebê.
Escolhemos Floripa porque simplesmente AMAMOS a cidade e já havíamos viajado duas vezes para lá. 
Até cogitamos ir de carro como nestas vezes, mas imaginamos que a Beatriz sofreria menos se fôssemos de avião, porque a viagem dura apenas 50 minutos (e adianto que foi a melhor escolha). 
Vamos começar pelo transporte. Reservamos os assentos na Gol com pontos/milhas e não tivemos problemas com check-in, malas ou atrasos. Como a Beatriz é menor de dois anos, ela não paga passagem, mas deve ficar no colo durante o pouso e a decolagem. Também por ser de colo, temos prioridade no check-in, no embarque e as nossas malas são as primeiras a serem colocadas na esteira (os atendentes colocam aquele tag de "prioritário"). O carrinho dela foi devidamente etiquetado no check-in e deixado na porta do avião antes de embarcarmos, para pegarmos no desembarque. 
Para distrair a pequena, recheamos nossos celulares e o tablet com vídeos. Estoquei chupetas, mamadeiras e uns deliciosos polvilhos na nossa mochila, e tudo isto manteve a Beatriz bem entretida durante o voo, sem choradeira ou incômodo no ouvido. Olha a folga:
Nosso transporte terrestre
O carro é essencial para se deslocar em Florianópolis, porque as praias são distantes do centro e distantes entre si (e nem sempre elas têm toda a estrutura - como mercado, farmácia, hospital, etc.). Ou seja, alugamos um carro. Pesquisando na internet, descobri a Movida Rent a Car e fechei com eles um carro com ar condicionado e 4 portas, mais a cadeirinha de bebê, com adicional por dia, claro. Foi o valor mais competitivo que encontrei, por isso recomendo pesquisar muito antes de fechar. Gostei muito do serviço deles. Quando desembarcamos, um funcionário estava nos esperando e nos ajudou com as malas, além de nos levar até a Movida. Recomendo.
Hotel
Escolhi o Mercure Itacorubi, primeiro porque sou fã da rede Accor. O serviço é padrão em todos os hotéis da rede e super de qualidade. E eu gosto de hotel tipo americano (realmente, não faço parte da turma do roteiro de charme #prontofalei). O que também nos levou a escolher este hotel foi a piscina interna e aquecida, pois imaginei que poderia chover. E realmente choveu por dois dias seguidos, ou seja, a piscina foi a salvação da lavoura.
Maaas, numa próxima oportunidade, eu escolheria um hotel ou alugaria um apartamento na beira da praia. Não tinha parado para pensar como seria a logística com a Beatriz para sair da praia e dirigir de volta ao hotel. E isto foi muito, muito difícil. 
Tivemos momentos cômicos de banho na calçada e troca de fraldas no banco de trás do carro. Até no porta-malas ela ficou (e amou... quem nunca??). 
Bem, chegamos à conclusão que ficaria bem mais fácil se tivéssemos só de atravessar a rua para ir à praia. Nem que fosse para sair de carro só para almoçar.
Volto no próximo post com dicas de praia, passeios e restaurantes.
Espero que tenham gostado!
XO 

Nenhum comentário: