7.2.13

O quarto do bebê

Com certeza uma das primeiras coisas que nós começamos a imaginar assim que descobrimos a gravidez (e o sexo) é o quarto do bebê. Existem infinitas opções de temas e cores no mercado.
São corujinhas, princesas, carrinhos, animais selvagens, personagens da Disney, galinha pintadinha e por aí vai. São estampados em kits de berço, cortinas, papel de parede e até pintados sob encomenda. Os preços chegam ao espaço sideral quanto mais personalizada for a decoração. 
Comecei a olhar na internet e os temas para menina não saíam do lugar comum: bailarinas, princesas, etc. Enquanto eu estava grávida, a moda eram as corujas. São muito fofas, tenho de confessar, mas não combinavam nada com o nosso estilo, além de que todo mundo teria igual (rs).
Somos muito minimalistas e sempre queremos ousar só nos detalhes. Eu então imaginava uma decoração diferente e que não me custasse os olhos da cara. Não sou muito de frufrus e nunca pensei que meu marido fosse gostar de um quarto cor de rosa... Nem eu gostaria... 
Antes de escolher qualquer tema, a dica é fazer a base do quarto: paredes, armários e janelas. 
Na linha minimalista, pensei em dar uma base neutra para o quarto e acrescentar os detalhes do tema, os quais eu poderia mudar quando a bebê crescesse e não quisesse mais aquele quartinho de nenê. 

As paredes foram mantidas na cor original (off white - tinta lavável) e acrescentei uma cortina num tom de palha com alguns pontos vermelhos e pretos, bem delicado. Queria pintar a parede no tema do quarto, mas a pintura personalizada custa algo fora de cogitação (preferimos adesivos, que vamos falar a seguir).
Como não fiz gesso neste quarto, colocamos um varão duplo branco fosco, pensando que, futuramente, colocaríamos um black-out ou mesmo um bandô. O tecido da cortina é fino, porque o bebê tem de aprender a diferenciar claro e escuro
Então, por mais que a janela fique fechada, a cortina vai deixar passar a luz do amanhecer e, se a janela ficar aberta, não vai escurecer muito o quarto durante o dia, o que é importante para o bebê não trocar o dia pela noite.
Eu já tinha armários embutidos em madeira e mandei revestir de fórmica branca, que é lavável e suporta os surtos artísticos das crianças (rs). Sugestão do meu marceneiro e saiu muito mais barato do que comprar um armário novo. 
Base feita, escolhi berço e cômoda em branco (vou fazer um post específico sobre a escolha do berço). Eu tinha uma mesa para a minha máquina de costura (sim, eu costuro!) e ela serviu de apoio para abajur, livro do bebê e outras coisinhas. 
Comprei nichos brancos para colocar bichos de pelúcia de enfeite e meu marido "handyman" os pendurou perfeitamente. Eu dispensei a poltrona de amamentação, porque achei que o espaço poderia ser melhor aproveitado... e foi, com a mesinha de apoio.
Tínhamos, assim, um quarto branco, quase de hospital, e faltava o elemento infantil... O processo de escolha fica para o próximo post :P

XO 



  

Nenhum comentário: