28.1.13

Voltando ao trabalho

Resolvi começar este Blog com um assunto polêmico para algumas: a volta ao trabalho depois da licença maternidade. 

Se a própria gravidez, a espera pelo parto e todas as "complicações" que estas situações trazem para as mulheres já causam ansiedade, o retorno ao trabalho gera a ansiedade da separação. Depois de ficar 4 ou 6 meses com o bebê em casa, exclusivamente, como é voltar ao trabalho? 

Vou conseguir deixar o bebê com alguém? Vou colocar na escolinha? Vou morrer de saudade? Ou vou parar de trabalhar e viver nos anos 50?

Eu particularmente acho que a maternidade não é sinônimo de escravidão. Nós, mulheres, continuamos a ser mulheres e mães depois que temos filhos. Eu sempre pensei que eu teria de ser feliz primeiro para fazer minha filha feliz.

E é aí que o negócio complica.

Sou profissional liberal, ou seja, 4-6 meses em casa era sonho e fantasia. Parar de trabalhar nunca foi opção, porque eu sempre soube que eu seria mega-infeliz se virasse dona-de-casa (nada contra quem é e gosta - porque o importante é ser feliz). 

O resultado? Trabalhei até quarta-feira e a bebê nasceu na sexta. Isso, da mesma semana. E era feriado! Burro de carga total...

Passei o mês de novembro em casa, lendo os emails e atendendo ao telefone. Trabalhei remotamente enquanto olhava a bebê e em nenhum momento fiquei sobrecarregada ou me achei escravizada/acorrentada à maternidade. Uma parte de mim dizia e disse que preciso de ambas as coisas para me fazer feliz.

Em dezembro voltei ao trabalho, mas tenho horário flexível e podia chegar para buscá-la às 16h. Buscá-la? Sim, e esta é uma parte importantíssima na hora de voltar ao trabalho "cedo": ter algum parente de confiança e com quem você se relacione bem para deixar seu bebê.

Eu tenho certeza que eu jamais conseguiria trabalhar tranquila se deixasse a bebê com um estranho, ainda mais com apenas 1 mês de idade. Deixando com a minha sogra, fico tranquila.

E se você não tiver parentes com quem pode deixar, vale abusar das vantagens de ser profissional liberal. Contrate uma pessoa e arrume um cantinho no seu local de trabalho para deixar o bebê e a babá. Olha que beleza! Você ainda pode amamentar! 

Posso dizer que sou muito criticada por ter voltado ao trabalho "cedo". Muito mesmo. Mas defendo que maternidade não é escravidão e não gosto menos da minha filha por ter voltado a trabalhar. Gosto mais. Aproveito muito mais os momentos com ela, porque faço o que gosto durante o dia e faço o que amo com ela e com meu marido. 

Felicidade plena.

XO

Nenhum comentário: