20.3.15

Socorro! Minha filha vai falar

Oi pessoal, tudo bem?
Eu relatei para vocês há algum tempo que a Bibi ainda não estava falando compreensivelmente e que eu estava bastante ansiosa. Apesar de ela conseguir se comunicar muito bem, com gestos e sinais, a oralidade dela parecia, digamos, atrasada.
Na semana passada, após um bate papo da professora com as outras mães das crianças da sala dela, aproveitei para conversar com a Psicóloga e a Diretora da escola. Expliquei tudo aquilo do post, inclusive que o pediatra já havia orientado a retirar todos os estímulos em inglês por enquanto, porque a pessoinha estava misturando as bolas. Elas acharam melhor eu conversas com a Fonoaudióloga da escola para "tirar a teima".
Marquei hora e lá fui eu numa quinta-feira chuvosa, às 16h, conversar com a Renata e esperando o pior dos cenários. 
Me enganei.
Relatei o nosso "histórico" e ela logo me disse que já tinha visto uma evolução na oralidade da Bia desde janeiro, quando ela foi chamada pela professora para observar os alunos que ainda não estavam falando. Realmente, eu percebi que a Bia começou a falar "achou"; "delicioso"; "mãe"; "um, dois, três, quatro"; "palma, palma, palma, pé, pé, pé"; e a cantarolar musiquinhas dos filmes. 
Mas acho que eu estava tão ansiosa com o "desenvolvimento" - numa racionalidade absurda - que deletei esta evolução.
Ela percebeu que eu havia virado a "técnica". Um robô programado para desenvolver a fala da Bia. Puramente racional, tipo uma tarefa. A ansiedade havia me cegado. Foi aí que a Renata disse para eu relaxar e ter espontaneidade, porque a Bia não tem nenhum problema, é só uma questão de tempo e treino. 
A Bia compreende bem o que falamos para ela, então já estamos com vantagem. Percebemos que ela constrói histórias com os bonecos e muda a entonação da linguagem dela para cada tipo de "sentimento" (isto é muito legal). Mas a pequena é dispersa e sua atenção precisa ser trabalhada um pouco mais... Bia é da bagunça, mas precisa entender que nem todas as horas são horas da bagunça.
Ela me passou algumas dicas:
- quando a Bia apontar para alguma coisa, perguntar "o que você quer, filha? fala para a mamãe"; 
- desligar mais a TV e deixar ela brincar com os brinquedos sem outros estímulos, porque o excesso deles atrapalha no desenvolvimento da oralidade;
- propor alguns desafios, como pedir para chamar o papai e pedir para ele não demorar. Isto vai ser engraçado;
- chupeta: limitar para hora de dormir ou quando estiver doente, para tirar o vício, porque a gente sabe que atrapalha;
- e muito importante: espontaneidade. Não deixar a imposição por falar se sobrepor à diversão e aos momentos de carinho.
Eu adorei! E vocês?
XO

Nenhum comentário: