6.8.15

Semana de amamentação e dia dos pais!

Oi pessoal, tudo bem?
Alguém consegue acreditar que já estamos em agosto? E que semana que vem já é meu aniversário? :O 
Pois é, julho passou voando, e nem podemos dizer que houve inverno, porque as duas últimas semanas têm sido especialmente quentes e áridas em Sampa. Minha pequena Minion tem tossido bastante e estamos fazendo inalação para não deixar este catarro todo grudar e evoluir para algo pior...
Falando nos Minions, esta é a nossa novidade: já passamos quatro vezes na fonoaudióloga e a Bia tem falado palavras novas, mas ainda nada quanto à construção de frases inteligíveis. Ou seja, estamos ainda na fase minion da fala (uma frase com apenas uma ou duas palavras inteligíveis). Em se tratando de terapia, sabemos que o progresso é lento e temos de ter bastante paciência. Estou estudando uma mudança na rotina dos dias de terapia para vermos se ela "vai melhor", rsrs.
Mas não é só disso que quero falar. Quero comentar com vocês rapidamente sobre a semana de aleitamento materno, que termina no dia 07.08 e visa promover e incentivar a amamentação.
Eu já contei aqui para vocês que não consegui amamentar porque não tive leite. Da mesma forma que ele desceu, ele sumiu. Suspeitam, inclusive, que seja uma das consequências da Síndrome de Hashimoto, doença autoimune que carrego e que provoca a inutilização dos hormônios da tireóide. É uma suspeita.
Se eu pudesse, eu teria amamentado... bem.. até hoje. Eu estaria amamentando até hoje. Acho maravilhoso todas as mulheres que tiveram toda a estrutura familiar e profissional para amamentar seus filhos até quando estes não quiseram mais. A legislação brasileira prevê que as lactantes têm direito a intervalos para amamentação - mas nós sabemos que isto não acontece. A licença maternidade é pensada justamente por causa da amamentação e nós sabemos que até os enormes seis meses são insuficientes se pensarmos que o leite materno é essencial até os dois anos. 
E eu? Bem, eu nunca amamentei exclusivamente a Beatriz e confesso que carreguei esta culpa por bastante tempo. Afora os julgamentos, os "aponta-dedos", os xiitas de plantão... O peito sempre foi o aconchego e é até hoje. Ela deita e se aconchega e pronto.
Mas sabem o que também tem este efeito? O colo do pai. Torçam o nariz se quiserem, mas o meu marido virou a "ama-seca" e dava a mamadeira antes de dormir. No colinho do papai, nossa bebê gigante recebia o mesmo aconchego do peito (vazio) da mamãe, resultando num vínculo (por quê não?) umbilical, maternal. Também resultou em algumas cenas bem curiosas...

Sim, o leite materno é o único alimento de que o bebê precisa até os seis meses de idade e a amamentação fortalece o vínculo mãe-bebê. Mas e quando a mãe não tem leite ou não pode amamentar? Vamos fortalecer o vínculo com o pai, então? 
Passada a fase da ama-seca, "nossa papai" dá banho, coloca para dormir, desenha, brinca de boneca, divide a comida (nesse caso, ela furta a comida dele, enfim).
Feliz dia dos pais!
Espero que tenham gostado!
XO

Nenhum comentário: