17.11.14

Aos dois

Oi pessoal, tudo bem?
O primeiro título que me veio à cabeça para este post era "welcome to hell, ladies and gentlemen", mas, lógico, a carga de drama é imensa e talvez - só talvez - eu esteja exagerando.
Muitas mães já me disseram que os dois anos são "fichinha" se comparados aos três, mas eu ainda estou cética.
Sim, chegou a hora de falar dos "terrible"two". A chamada "adolescência" dos bebês ocorre desde os 18 meses e pode durar até depois dos três anos. É aquela fase em que eles descobrem que são independentes dos pais, ou seja, "pessoas separadas". A Beatriz começou a dar sinais "separatistas" com mais ou menos 1 ano e sete meses. Nas proximidades de seu aniversário, as crises de birra aumentaram muito, e vejo que às vezes nem ela sabe o que ela quer. Ela se joga no chão, chora sem lágrimas e até grita.
O fato de ela não falar ainda dificulta muito a nossa compreensão e às vezes ficamos nervosos também. Estamos aprendendo muito e estamos nos unindo para tentar lidar com as horas de crise. Penso que a colaboração entre os pais - seguindo a mesma linha - funciona bastante. Ah, como eu gostaria que fosse assim na casa dos avós também...rsrsrsrs
Algumas dicas (que funcionaram porque observamos):
- manter a calma. Como é difícil algumas vezes, mas o negócio é contar até dez e seguir em frente;
- ser firme. Voz firme e até conter fisicamente a criança. Não é bater, lógico, mas evitar que ela fuja enquanto você fala (sempre descendo na altura dela) e tenta descobrir o que ela quer;
- distrair. Se a Beatriz quer a chupeta e não é hora, damos um brinquedo diferente, fazemos uma palhaçada ou colocamos um desenho que ela gosta;
- se a birra continuar, deixe a criança se acalmar. Nós vimos que às vezes ela precisa se acalmar sozinha, porque nem ela sabe o que ela quer... corta o coração;
- dar colo e muito amor. Percebemos que nestes momentos de desespero dela, só o colo resolve. Mas é o último recurso, é quando nada funcionar e quando a gente perceber que ela se frustrou. Então pegamos no colo e vamos conversando com ela até ela acalmar. 
É uma fase bem esquisita... Tem dias que ela é a criança mais colaborativa do mundo e tem dias que nem a blusa quer vestir. Alguns dias são difíceis até na hora de comer, ainda mais porque alguns dentes ainda estão nascendo. É um teste de paciência... rsrsrsrs. 
Se você aí está passando por esta fase, pode ter certeza que muitas também estão passando. E eu fico imaginando ainda que a Beatriz é, no conceito popular, uma criança boazinha.... 
Espero que tenham gostado!
XO
 


Nenhum comentário: