16.1.14

Revolution

Muitas mães blogueiras estão falando sobre adaptação em berçários e escolinhas por estes tempos, porque é época que muitos pais escolhem para começar este processo. Processo? Bem... já ouvi muitas histórias de que a adaptação no berçário é mais difícil para a mãe do que para o bebê, mas quero compartilhar a minha experiência com vocês.
Estranho que, quando pensava na adaptação, a música Revolution dos Beatles me vinha na cabeça, sei lá porquê. You say you want a revolution... oh yeah, you know...
Pode ser porque eu acabei fazendo muitas coisas diferentes com a Beatriz do que as mães fazem com seus bebês... Voltei a trabalhar cedo, por exemplo. E, para muita gente, ela está indo tarde para a escolinha, ou cedo, dependendo do ponto de vista.
Ou seja, Revolution.
De qualquer forma, sempre mantive uma ideia fixa na cabeça sobre a adaptação: segurança. Se eu estiver segura, a Beatriz também estará. E eu nunca tive tanta certeza de que a escolinha meio-período era a melhor escolha para ela. 

Foi esta atitude que adotei nos três dias em que passei períodos com ela no berçário. Sempre com tranquilidade, deixei ela se aproximar das crianças e descobrir o ambiente e os brinquedos. Aos poucos, fui me afastando devagar. Poucos centímetros, um metro ou dois e uma porta de distância.
Hoje, quinta-feira, deixei-a pela manhã e fui me afastando devagar. Saí da sala. Ela brincava tranquilamente, como se fosse num ambiente que já conhecesse e tivesse brincado todos os dias por meses e meses. 
Saí com o coração na mão. 
No meio da manhã, a psicóloga ligou (bem na hora que eu estava no elevador da Receita Federal - *gasp*) e deixou um recado na caixa postal, falando que a Beatriz estava super bem, tinha comido a fruta e não tinha chorado. Ufa, estava ainda mais tranquila.
Às 11h30min, cheguei no berçário e quando ela me viu... buááááá!! Bico do magoei e lágrimas. Muuuuitas lágrimas... Nunca vi ela se agarrar tanto em mim, rs. Mesmo assim, não me senti culpada ou arrependida, porque sei que ela se divertiu muuuuito com os amiguinhos.
Por isso, quando se trata de adaptação, penso em Revolution... Opa, péra... Sim, Revolution. Faça o que você acha certo. Faça o que você acha que será o melhor para o seu filho, porque só você conhece bem o seu filho.
A minha segurança passou para a Beatriz. E a tranquilidade também. Descubra o que funciona para vocês.
Porque filho não tem manual.
Revolution.
XO

Nenhum comentário: